Sistemas de gestão

A Qualidade e a indústria 4.0

a-qualidade-e-industria-4-0

Imprimir artigo
Nos últimos anos, mais intensamente na Alemanha, surgiu a chamada Industria 4.0 (ou também conhecida como 4ª revolução). Em geral, sua origem se determinou devido a demanda dos clientes por produtos personalizados e esse movimento é caracterizado por novas configurações tecnológicas aplicadas ao processo produtivo.

Essa incorporação proporciona comunicação e cooperação entre as pessoas e o processo produtivo em tempo real, além disso integra o cliente à linha de produção por meio das plataformas digitais que tornam possível que a concepção do produto seja feita em uma espécie de co-criação.

Esse movimento prega que, por exemplo, o cliente, ao adquirir um produto, poderá customizá-lo durante o processo de produção, obtendo, por exemplo, um porta celular do tamanho do seu aparelho e de sua cor preferida, além de acompanhar as fases de produção em tempo real, por meio de sites ou aplicativos.

Benefícios da indústria 4.0 para as empresas

As mudanças foram várias e a conectividade entre homem e máquina irá proporcionar vários benefícios, tais como:

Conexão dos dados

Com a interconexão dos sistemas, a produção pode oferecer informações em tempo real, que auxiliam para reajuste dos processos/recursos sem atraso. Isso vai possibilitar o acompanhamento dos indicadores do processo em tempo real, permitindo identificar rapidamente as falhas, otimizar a produção e melhorar a tomada de decisão.

Teste virtual de processo

Na fase de concepção do processo, será possível simular em salas virtuais o layout do processo produtivo e verificar atividades realizadas pelos colaboradores para identificar o melhor fluxo antes da implantação definitiva, diminuindo custos e o tempo de criação.

Rastreabilidade do produto e processo

Teremos armazenadas todas as informações referentes aquele produto e processo, os produtos serão identificados por um código (QR code) por exemplo, que armazenará todo o histórico do produto (hora, dia, mês e ano de fabricação, por exemplo). Com as informações contidas neste código é possível certificar que o produto percorreu corretamente todas as fases do processo.

O futuro com a indústria 4.0

Essa 4ª revolução chegou com tudo e trouxe muitas mudanças significativas para o nosso processo que irão possibilitar maior produtividade, flexibilidade, qualidade, eficiência e competitividade. Se você acha que a indústria 4.0 é ficção cientifica, relatarei aqui exemplos reais, que já existem e estão ajudando a melhorar processos mundo afora:

  • Já existem máquinas em que é possível programar zonas de risco do processo. Quando elas identificam os limites pré-programados pelo gestor, param a execução do processo e mandam uma mensagem para o celular do responsável. Por exemplo, suponhamos que um processo não possa sofrer pausas, e que a máquina que o executa consuma 3 litros de combustível por processo rodado. O gestor pode programar o sistema para só reiniciar um processo se a máquina tiver combustível acima da área de risco (4 litros de combustível por exemplo). Se a máquina não tiver mais de 4 litros de combustível, ela para automaticamente e envia uma mensagem para o celular do responsável.
  • Em determinados processos produtivos, é preciso seguir rigorosamente as fases de execução, e o produto só é liberado para o estágio seguinte se estiver devidamente validado. Já existem sistemas que tornam essa validação muito mais rápida e precisa, garantindo a qualidade do produto.  Se, por exemplo, determinado produto precisa que 4 parafusos sejam rosqueados a ele em uma sequência especifica, o próprio sistema identifica essa sequência e, se o colaborador tentar alterá-la, não libera a ferramenta utilizada para a execução da tarefa, garantindo que o processo seja seguido à risca;
  • Já existem impressoras 3D capazes de imprimir diversos objetos, que vão desde chaveiros, brinquedos, a itens mais complexos, como próteses e até mesmo a estrutura externa de um veículo. Por “imprimir” um componente, ou parte dele, pouco tempo antes da sua utilização no processo, é possível produzi-lo mais próximo do uso, de acordo com a demanda, sem gerar desperdícios e estoque.

Competência: o segredo da nova era!

Devido a esse nível de integração e otimização, cada vez mais, as organizações devem se preocupar em atualizar e capacitar seu time. As pessoas precisarão de habilidades para compreender e trabalhar com estes sistemas tecnológicos, para executar os processos.

A interação entre homem e máquina acontecerá de forma nunca vista anteriormente, novas demandas irão surgir e o profissional que continuar a ser o mesmo “cara da metodologias consagradas”, numa fase de interação e digitalização, contribuirá para tornar o processo obsoleto, mais lento e mais caro.

Autor

Comentários

Posts relacionados

planejamento-de-mudancas-os-3-estados-de-mudancas
← Post mais recente
Planejamento de mudanças: os 3 Estados de Mudanças