Ferramentas da qualidade

Prevenção de falhas humanas ? Poka-Yoke

Imprimir artigo
Você sabe utilizar ou o que significa poka-yoke ? A palavra poka-yoke significa (poka = erros de desatenção; yoke = prevenir), logo poka-yoke são sistemas compostos por técnicas e dispositivos utilizados para a prevenção de prováveis falhas humanas em um processo produtivo. Fáceis de serem operacionalizados e de baixo custo, esses sistemas são incorporados em um processo para prevenir erros humanos que eventualmente venham ocorrer. Resumindo, é uma técnica que possibilita prevenir possíveis e potenciais falhas humanas durante o processo.

Várias são as origens das causas de erros humanos nos processos produtivos, entre elas podemos citar:

  • Falta de atenção ou descuido
  • Fadiga do trabalhador
  • Negligência aos procedimentos
  • Falta de capacitação técnica para a função
  • Falta de comprometimento para com os objetivos da empresa
  • Erros premeditados

Em se tratando da falta de atenção, descuido ou fadiga do trabalhador, eles podem estar relacionados ao excesso de pressão dos gestores exercido sobre eles. Num primeiro momento, o desempenho do colaborador até determinado ponto, é proporcional à pressão. Num segundo momento, o aumento da pressão não altera seu desempenho, mas num terceiro momento, o aumento dessa pressão vai causar queda no desempenho, o que é o principal responsável pela falta de atenção, descuido ou fadiga do trabalhador.

A negligência, a falta de capacitação, a falta de comprometimento e os erros premeditados estão, na maioria das vezes, relacionados à politica de recursos humanos, a não eficácia e não adaptabilidade dos programas de treinamento e de integração realizados nas organizações.

Mesmo a organização criando programas eficazes para diminuir a pressão sobre o trabalhador ou para melhorar a política de recursos humanos, precisamos admitir que o ser humano não é infalível e os operadores e gestores dos processos também são humanos. Portanto, é preciso que os processos levem em consideração sistemas que compensem os prováveis erros humanos.

Os poka-yoke são apresentados de diversas formas e as mais comuns são através de sensores/interruptores que acusam os posicionamentos ou atividades que não estão sendo desenvolvidas corretamente, de gabaritos instalados em máquinas, contadores digitais para verificar o número de atividades, ou até mesmo através de uma simples lista de verificação.

EXEMPLO

Prevenção das falhas humanas em um processo de passar roupa.

 

 

 

 

 

Ainda no mundo doméstico é possível identificarmos outros poka-yoke como no caso da leiteira que emite um apito quando o leite está fervendo por exemplo.

A eficácia na utilização do poka-yoke tem levado a uma diminuição significativa na taxa de retrabalho, à diminuição de acidentes de trabalho e à melhoria dos processos produtivos, sempre com foco na eliminação dos erros.

 

REFERÊNCIA

RODRIGUES, Marcus Vinicius. Ações para a qualidade: GEIQ, gestão integrada para a qualidade: padrão seis sigma, classe mundial. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2004.

 

Autores

Comentários

Posts Relacionados

← Post mais recente
Qualidade no dia a dia