Cultura organizacional

Para que servem os valores da empresa e o que a qualidade tem a ver com isso?

Imprimir artigo
Não é de hoje que temos empresas definindo seus valores e colocando eles em belos quadros nas salas de espera, apresentações corporativas e fundos de tela no computador dos funcionários.

Mas antes de continuar, gostaria de fazer uma pergunta: você sabe quais são os valores da sua empresa? Alguém sabe? E isso importa? Na empresa em que você trabalha eles servem para alguma coisa?

Os valores, assim como negócio, missão e visão, constituem a identidade organizacional. Porém, na minha opinião pessoal, eles têm um peso muito maior, porque a visão ou a missão podem mudar de acordo com o direcionamento estratégico, mas penso ser mais difícil mudar as coisas que acreditamos serem as corretas.

Em época de auditoria (como se isso fosse uma estação do ano), algumas empresas orientam as pessoas a lerem os valores. Já até ouvi que eles devem ser aprendidos, compreendidos e até seguidos.

Mas os valores devem ser vividos para que em todas as decisões, todas mesmo, sejam ancoradas nesses princípios.

Os valores são o “jeito” que as pessoas se comportam, são como as pessoas agem dentro da empresa, no que elas acreditam no seu trabalho. Sempre que alguém optar por fazer ou não fazer alguma coisa, isso deve ser decidido com base nestes princípios, pois eles são uma bússola que orienta como as pessoas devem agir se elas não tiverem para quem perguntar.

Eu visito várias empresas por causa do meu trabalho, e logo na recepção já é possível saber se os valores são seguidos ou não. Quando as frases ou palavras do quadro de valores não refletem as ações das pessoas e o comportamento da equipe, este é um primeiro indicativo claro de que essa empresa vai mal.

É nesse ponto que estes princípios são tão importantes para a qualidade: se houver alinhamento entre a política e objetivos da qualidade com os valores da empresa, as pessoas vão naturalmente buscar o que a qualidade prega.

Lembra da frase do Henry Ford: “Qualidade é fazer certo quando ninguém está olhando”? É uma evidência clara de que qualidade só funciona MESMO quando se tem crenças comuns entre as pessoas da organização, pois se ninguém está olhando, quem mais saberá além da pessoa que está executando?

Ter pessoas alinhadas com os valores da empresa não significa só contratar alguém, dizer: “estas aí são nossas crenças” e esperar que ela siga os valores. O segredo está em contratar certo! Aqui na Forlogic, nós só contratamos quem tem alinhamento com os valores, e depois avaliamos competências técnicas.

Eu só lidero minha equipe pensando nos nossos valores, e os lembro sempre que eles são os guardiões desses princípios. Na nossa rotina, fazemos “momentos de cultura”, para fortalecer, explicar, alinhar e fomentar estes princípios. O resultado são pessoas com a mesma cultura, guiando-se pelos valores da empresa e tornando-os também crenças pessoais, porque incentivamos o comportamento de todos acreditam que é realmente assim que devem agir.

É claro que cada pessoa tem suas crenças pessoais, e isso é ótimo, mas ela deve compartilhar das mesmas crenças da empresa, e, se existir algum valor com o qual ela tenha dificuldade, ela deve compreender isso por si só e trabalhar na evolução deste. Todos podem evoluir um comportamento, até porque somos fruto do meio que convivemos.

E a coisa mais legal dos valores é que eles não são certos nem errados. Eles são apenas os que você ou a sua empresa acredita. Portanto, você pode escolher quais crenças quiser, mas é importante que eles sejam de verdade. Você não pode falar de um valor dizendo que “quer ter isso”, você escolhe um valor quando “tem isso”.

Empresas que vivem seus princípios, tornam o trabalho da qualidade mais fácil, e principalmente, faz as pessoas trabalharem pela a qualidade e não para a qualidade.

Se a sua empresa não vive os valores que “prega”, pense se é nesse lugar que você quer passar seus dias!

Autor

Comentários

Posts Relacionados

← Post mais recente
E esse negócio de BPM, você já ouviu falar?