Ferramentas da qualidade

Os 10 C’s da Avaliação de Fornecedores

Imprimir artigo
Na compra, o fornecedor era perfeito, mas depois… não ficou tanto assim! Ele tinha flexibilidade na negociação, porém depois você percebeu que o nível de comunicação e atendimento eram inaceitáveis para o seu processo ou ainda que os padrões de qualidade não foram os níveis esperados. Ou seja, você já estabeleceu um relacionamento com um fornecedor para perceber só mais tarde que fez a escolha errada?

Incompatibilidades entre suas necessidades e as ofertas de um fornecedor pode causar custos, atrasos, retrabalho e até prejudicar a reputação da sua empresa, por isso fazer uma avaliação de fornecedores eficaz e sistêmica é tão importante.

Ray Carter, diretor da DPSS Consultants escreveu um artigo em 1995 na “Purchasing and Supply Management” sobre os 7 C’s da avaliação de Fornecedores, e depois, ele acrescentou mais 3 c’s, que são:

  1. Competency (Competência)
  2. Capacity (Capacidade)
  3. Commitment (Compromisso)
  4. Control (Controle)
  5. Cash (Dinheiro)
  6. Cost (Custo)
  7. Consistency (Consistência)
  8. Culture (Cultura)
  9. Clean (Limpeza)
  10. Communication (Comunicação)

Se usarmos esses 10 C’s como uma lista de verificação, provavelmente, conseguiremos avaliar os potenciais fornecedores de várias maneiras, melhorando a análise sobre a eficácia do fornecedor. Dificilmente um fornecedor se destacará nos 10 itens, talvez ele será forte em alguns e fraco em outros, e você pode até usar isso na negociação, principalmente se os pontos fracos do fornecedor representarem riscos significativos para sua empresa.

Mas como devo olhar para cada C da avaliação de fornecedor? Bom, para compreender melhor vamos falar de cada um deles.

1 – Competência

Entenda o quão competente o fornecedor é. Fazer uma avaliação exaustiva das capacidades do fornecedor em relação ao que você precisa pode até funcionar, mas principalmente, veja o que os outros clientes pensam. Os clientes atuais do fornecedor estão felizes? Quais problemas eles têm? E se você conhecer ex-clientes, por que eles mudaram de fornecedor?

Não se engane, talvez uma coisa que não funciona bem em outra empresa pode funcionar na sua. Por isso, procure por clientes que tem valores parecidos com os seus para assegurar que a informação que você colheu é relevante para você!

2 – Capacidade

O fornecedor deve ter capacidade suficiente para lidar com as necessidades da sua empresa. Então, com que rapidez ele será capaz de responder a essas e outras oscilações do mercado? Esse item é bem difícil de conseguir avaliar, se o seu fornecedor tem pelo menos esses riscos mapeados, já é um começo.

3 – Compromisso

Como seu fornecedor prova que ele está comprometido em entregar bons padrões de qualidade? Ele possui iniciativas de qualidade como ISO 9001:2015, seis sigma, ou seja, tem um SGQ implantado? Além disso, se você estiver procurando uma relação a longo prazo, como ele prova comprometimento com os clientes dele?

4 – Controle

Qual o nível de controle que este fornecedor tem sobre suas políticas, processos, procedimentos e sua cadeia de suprimentos? Mesmo que ele possua softwares de controle, ele mantém uma gestão sobre esse controle?

5 – Dinheiro

Em alguns casos, a solidez financeira pode ser um fator muito importante para ser analisado, especialmente se estiver avaliando um fornecedor que contribui para uma atividade principal da sua empresa.

6 – Custo

Como em toda avaliação, o custo do produto ou serviço é um fator a se analisar também. Contudo, por mais que algumas empresas usem o custo como um fator chave de escolha, não é o principal a ser considerado, especialmente se você está procurando um fornecedor para um relacionamento contínuo e de longo prazo.

7 – Consistência

Como o fornecedor garante que ele produz produtos de qualidade de forma consistente? Ninguém é perfeito o tempo todo, mas é importante conhecer quais são os processos e procedimentos que garantem a consistência do fornecedor em entregar produtos em conformidade com o padrão acordado.

8 – Cultura

As melhores relações de negócios acontecem quando as duas partes compartilham de valores semelhantes. Por exemplo, se o valor mais importante da sua organização é a qualidade, e seu principal fornecedor se preocupa mais com o cumprimento dos prazos, essas incompatibilidades podem significar que ele está disposto a entregar produtos de uma forma que pode ser inaceitável para você. Por mais que cultura pareça ser um assunto complexo, conhecer a missão e valores do possível fornecedor é uma boa prática para analisar quais princípios vocês compartilham.

9 – Limpeza

Por mais que pareça, não falaremos sobre 5s e sim sobre sustentabilidade! O que o fornecedor está fazendo para ser mais limpo para o ambiente e para a sociedade? Ele cumpre leis ambientais? Faz alguma prática relacionada a isso? Possui uma boa reputação com suas partes interessadas? A real questão é saber se o seu fornecedor tem uma “ficha limpa”.

10 – Comunicação

É basicamente sobre como o fornecedor pretende manter contato com você. Quais os canais de comunicação disponíveis? E além disso, quando algo der errado, como o fornecedor irá comunicá-lo? Será rapidamente? Como essa comunicação acontecerá?

Você pode usar este modelo para avaliar a competência e viabilidade de potenciais fornecedores, e mesmo que ache inviável avaliar todos os 10, comece implementando um ou outro que acredite ter mais aderência ao jeito que você trabalha. Isso te ajudará a escolher a empresa que melhor atenda às suas necessidades e que se alinha com os valores da sua organização, assim, fica mais difícil seu processo de avaliação de fornecedores ir para o saco de lixo. Não entendeu? Então você precisa ler esse artigo aqui: Sua avaliação de fornecedores vai para o saco de lixo?

Referência:
Este texto é uma revisão do artigo da Mindtools.

Autor

Comentários

Posts Relacionados

← Post mais recente
Sem dados você é uma pessoa qualquer com uma opinião.