Sistemas de gestão

O que o RH tem a ver com os requisitos ISO 9001:2015

Pessoa jogando xadrez.

Imprimir artigo
O conceito de competências é assunto muito frequente na área de Gestão de Pessoas e é também abordado nos requisitos da ISO 9001:2015. Uma definição muito conhecida de “competências” já tratada no Blog da Qualidade, é aquela que entende a competência como um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes – o famoso “CHA”.

Entretanto, estudos recentes ampliaram essa concepção para “CHAVE”, passando a incluir nesse conjunto o V, de”valores”, e o “E”, cuja definição mais aceita é “entorno”. Antes de explicar o que essas novas letras significam, vamos relembrar o “CHA”:

  • Conhecimentos: estão relacionados aos saberes adquiridos pelo indivíduo. Está, geralmente, relacionado à escolaridade, como cursos, treinamentos ou graduações realizadas pelas pessoas. Seria o como fazer;
  • Habilidades: estão relacionadas à experiência prática do saber, à aplicação do conhecimento adquirido na rotina do colaborador. É o saber fazer;
  • Atitudes: são ações que demonstram o querer fazer ou o próprio fazer em si. Podem ser vistas como a manifestação do empenho, do saber e da experiência prática aplicada no trabalho.

Mas Ok! Isso nós já sabíamos, mas e essas duas novas letras? O que agregam a esse entendimento? Vejamos:

Valores

Todas as pessoas têm valores que fazem parte de suas chamadas “suposições básicas”, aquelas que fizeram parte da formação de sua base pessoal e que foram assumidas como verdadeiras. As Organizações também fazem a declaração de seus valores e os divulgam aos colaboradores e a todos os envolvidos com o negócio (os chamados stakeholders).

No que se refere à competência, o colaborador fará uma avaliação da relação entre os seus próprios valores e os declarados pela empresa, de modo que possa encontrar similaridade entre eles ou não. A similaridade encontrada funcionará como impulsionadora da identificação que o colaborador tem com a empresa e, por consequência, influenciará no seu desempenho.

Entorno

O Entorno faz referência à capacidade de adaptação e flexibilização do colaborador para interagir com o ambiente. Popularmente, chamamos isso de “jogo de cintura”, fazendo uma analogia com a capacidade de adaptar-se ao contexto organizacional.

A ISO 9001:2015 e a Gestão por Competências

Vejam que interessante, em Recursos Humanos tratamos competências como um conjunto de saberes aplicados à prática e capazes de transformar conhecimento em resultado. Olha a definição de competência estabelecida por Maria Tereza Fleury (2000):

“Saber agir responsável e reconhecido, que implica mobilizar, integrar, transferir conhecimentos, recursos, habilidades, que agreguem valor econômico à organização e valor social ao indivíduo”.

Da mesma forma, no que se refere a “ser competente”, a ISO 9001:2015, norma que descreve conceitos e princípios dos Sistemas de Gestão da Qualidade, define competência como “a capacidade de aplicar conhecimentos e habilidades para alcançar os resultados pretendidos” (requisito 3.10.4).

A norma, de forma resumida, e as definições entendidas por RH, sugerem caminhos parecidos. Cabe à empresa, então, numa parceria entre as áreas de qualidade e gestão de pessoas, encontrar as aplicações práticas desses conceitos para selecionar quais ferramentas serão as mais adequadas para a organização, por exemplo, na avaliação de desempenho, na seleção de pessoas, na execução de treinamentos e em tantas outras situações.

A Gestão por Competências e o requisito 7.2 da ISO 9001:2015

Se as empresas tiverem um modelo aplicado de Gestão por Competências, irão mais facilmente atender ao requisito 7.2 competências, da ISO 9001, porque naturalmente o requisito estará atendido ponto a ponto.

A ISO 9001, inclusive, diz que as organizações devem tomar ações para adquirir as competências, por exemplo: a provisão de treinamento, o mentoreamento, a mudança de atribuições de pessoas empregadas no momento ou contratar pessoas competentes. Tudo para garantir que quem esteja executando o processo seja competente.

A nova versão da ISO 9001:2015 apresenta um texto mais próximo dessa nova visão sobre competência que usamos em gestão de pessoas, pois associa não somente a definição de competências, mas também sua aplicação prática em resultados organizacionais, ou seja, direciona a aquisição de competências ao alcance dos resultados (ter competência para chegar mais longe).

Quanto a nós, profissionais de RH ou fãs da ISO 9001, precisamos ser cada vez mais corajosos e dedicados a aprimorar nossos Sistemas de Gestão da Qualidade, cuidando das competências de nossos times! Afinal a gestão de pessoas age como um suporte à qualidade, ajudando a garantir a competência dos colaboradores para executar os processos.

Autor

Comentários

Posts relacionados

dia-mundial-da-qualidade-lideranca-transformadora
← Post mais recente
Dia Mundial da Qualidade: Liderança Transformadora