Planejamento Agregado

O planejamento agregado visa compatibilizar os recursos produtivos da empresa com a demanda agregada no médio prazo (5 a 18 meses aproximadamente), onde a empresa deverá definir uma estratégia de operações, que poderá ser:

– Adequar os recursos necessários para o atendimento da demanda.

– Atuar na demanda a fim de que os recursos disponíveis possam atendê-la.

– Utilizar uma estratégia mista, ou seja, atuar tanto nos recursos quanto na demanda.

 

PERFIL DA DEMANDA

O primeiro passo na execução do planejamento agregado é obter o perfil da demanda para o período do planejamento, conforme o exemplo abaixo.

De acordo com a tabela acima, a demanda média para o período de planejamento é de 648 unidades/mês (7776/12). Caso os recursos produtivos fossem dimensionados para atender à demanda da média do período de planejamento (648 un./mês), ficaríamos com falta de recursos em 5 meses (jan., fev., out., nov., dez.), e um excesso de recursos em 7 meses (mar., abr., maio, jun., jul., ag. e set.). Como os dois casos são indesejáveis, o planejamento agregado tem como objetivo solucionar esta situação, procurando alternativas de menor custo para a empresa.

 

ESTRATÉGIAS DE ATUAÇÃO

Para conseguirmos resultados positivos no planejamento agregado, podemos atuar na oferta de recursos, na demanda ou em ambas, que é uma estratégia mista.

1. Atuação na oferta de recursos

  • Admissão/demissão: consiste em admitir ou demitir colaboradores de acordo com as necessidades de mão-de-obra. Quando a variação da demanda é muito acentuada, como no exemplo apresentado, os custos são muito altos, tanto na admissão (recrutamento, treinamento) quanto na demissão (encargos sociais, relocação etc.).
  • Horas extras: consiste em trabalhar horas extras a fim de compensar as necesssidades decorrentes do aumento da demanda. Neste caso, os custos são bem maiores do que o trabalho em horas normais.
  • Subcontratações: consiste em subcontratar com terceiros a fabricação das unidades que deixaram de ser produzidas, podendo gerar maiores ou menores custos.
  • Estoques: consiste em fazer com que os estoques absorvam as variações da demanda. Esta é a prática mais usada, apesar de também levar a custos elevados de estoques e outros problemas decorrentes de sua existência.

2. Atuação na demanda

  • Preço de venda: consiste em aumentar o preço de venda para que a demanda diminua (quando os recursos produtivos forem insuficientes para atendê-la), e diminuir o preço de venda (quando os recursos produtivos estiverem sobrando), gerando desta forma o aumento da demanda.
  • Promoção: ocorre quando há excesso de recursos produtivos.
  • Atraso na entrega: consiste em atrasar a entrega dos pedidos, até quando haja recursos para atendê-los, não esquecendo de que há o risco de desagradar o cliente, onde a empresa correrá o risco de perdê-lo.

3. Atuar tanto na demanda quanto na oferta de recursos produtivos

Esta é uma estratégia mista, onde procura-se a combinação dos dois casos anteriores, visando o menor custo possível, sem deixar de atender os clientes.

As empresas que se utilizam do planejamento agregado deverão ter o cuidado de jamais deixar de atender a demanda. Portanto, as estratégias apresentadas poderão auxiliá-las a tomar a decisão que mais se aplica a seu negócio, com o menor custo possível e satisfação do cliente.

 

Para maior eficiência do seu planejamento, aprenda Como Executar Planos de Ação.

 

REFERÊNCIA

MARTINS, Petrônio G; LAUGENI, Fernando P. Administração da Produção. 2ª ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

 

 

Autor(es): Rosemary Martins

Sobre o(s) autor(es)

Meire
Rosemary Martins
Administradora de Empresas, Pós-graduada em Comportamento Organizacional e Recursos Humanos, Mestre em Engenharia da Produção e Sistemas. Você também pode encontrar mais informações sobre meus posts no meu perfil do Google+