Estratégia empresarial

O que o Planejamento Estratégico tem a ver com o Contexto da Organização

Imprimir artigo
Li o texto do Jeison em que ele explicou que planejamento estratégico não pode ser confundido com o BSC, e eu acho muito importante que esse processo (planejamento estratégico) seja conduzido de maneira clara.

Por isso, resolvi escrever este post para falar da importância da definição do contexto na hora de fazer o planejamento. Para mim, assim como o BSC, a definição do Contexto da Organização, aquele da ISO 9001:2015, é uma etapa importante do planejamento estratégico.

Você conhece sua empresa?

A ISO 9001:2015 específica no item 4 que devemos identificar o que afeta nossa empresa (fatores internos e externos) e também quem é afetado (partes interessantes) por cada ação executada na organização. Mas, ainda mais importante do que fazer o que a ISO pede é entender o caminho que a sua empresa está trilhando.

Você precisa definir a visão, missão e valores. Precisa entender qual a capacidade da empresa, o que ela faz e como faz, quais fatores internos e externos impactam os processos, os recursos disponíveis, e por aí vai. Para isso, você precisa entender que não tem ferramenta certa, a norma não diz como fazer, ela apenas é mandatória, devemos fazer utilizando a ferramenta que acharmos apropriada para nosso modelo de negócio. Você pode usar a simplicidade da SWOT, o Canvas, as 5 Forças de Porter, enfim, a que preferir.

Beleza, já fiz tudo isso, conheço bem a minha empresa e sei cada detalhe dela. E agora, já acabou, Jéssica?!

o-que-o-planejamento-estrategico-tem-ver-com-o-contexto-da-organizacao

Não é bem assim! É claro que o contexto vai ajudar muito a sua empresa, mas só o defini-lo não vai gerar tantos benefícios assim. Então é preciso definir a estratégia da sua empresa, entender que você está no PONTO A e que precisa definir meios de chegar no PONTO B. E não tem como falar de estratégia se não sabemos quem a gente é, que problema a gente resolve e onde queremos chegar. O que nos leva ao póroximo tópico:

Onde a sua empresa quer chegar?

Depois de identificadas as principais características da sua empresa, precisamos criar planos e metas que sejam condizentes com o contexto que foi definido. Por exemplo, se a minha empresa trabalha com Software para Gestão da Qualidade (totalmente hipotético, hehe 🤣), e os colaboradores tem competências desenvolvidas nessa área; talvez não seja muito lógico constar no nosso planejamento estratégico que queremos lançar a cura da AIDS, não é?

Sei que esse exemplo é muito irracional, mas às vezes a gente define objetivos que não vão nos levar onde queremos chegar. Também pode acontecer de definirmos objetivos que são poucos prováveis de se realizar de acordo com o nosso estado atual. Nesse caso, na verdade, a estratégia tem que estar focada em capacitar a empresa para, depois, atingir um objetivo maior.

Há vários motivos que podem levar a isso, mas o que percebo é que essa confusão na hora de definir os objetivos geralmente acontece quando o contexto da organização não é claro para as pessoas envolvidas no planejamento estratégico.

E onde o BSC entra nessa história?

Finalizando, perceba que, a grosso modo, o planejamento estratégico é um ciclo composto de 3 etapas:

  1. a primeira delas é entender quem você é;
  2. a segunda é definir onde quer chegar, e;
  3. a terceira é trabalhar pra isso, focar na execução!

Mesmo que você tenha feito tudo certo na primeira e segunda etapas, você ainda vai precisar de uma ferramenta que te ajude a organizar os objetivos e realmente executar a estratégia.  E o BSC é ideal para isso.

Ele orienta todo o processo de mudança organizacional, lembra do “sair do PONTO A e chegar ao PONTO B”?! Com ele é possível estruturar as iniciativas da organização de maneira integrada, ou seja, envolvendo toda a empresa nas 4 perspectivas. Assim é mais fácil atingir os objetivos e metas, e ter sucesso nas ações estratégicas.

Autor

Comentários

Posts relacionados

porque-usar-o-bsc-para-gestao-estrategica
← Post mais recente
Porque usar o BSC para gestão estratégica